Posts Sinterpa

Sindicatos se reúnem com Federação para discutir questões inerentes aos servidores estaduais


Reunião Feserp

No último dia 20 de junho, sindicatos que representam categorias dos servidores estaduais, entre eles o Sinterpa, se reuniram com representantes da Feserp/MS (Federação Sindical dos Servidores Públicos Estaduais). Em pauta, estavam questões a serem discutidas no âmbito da federação, que não estavam acontecendo em virtude do falecimento recente do presidente da Feserp/MS, Rudney Vera de Carvalho (que ocorreu no dia 27 de maio).


Na reunião, ficou definido que a Fersep/MS vai convocar os sindicatos associados para uma reunião no próximo dia 30 de junho, para discutir os seguintes assuntos:


  • - falta de reajustes em salários dos servidores que tem PCI;

  • - acordo com o governo federal para renegociação de dívida estadual em troca de ausência de reajuste salarial;

  • - falta de correção no valor da diária estadual para R$ 85,00;

  • - Projeto de Lei para alteração na Previdência Estadual;

  • - questões relativas a meritocracia.


Ficou acordado também que os diretores da Federação vão tentar agendar uma audiência com representantes do governo do Estado para discutir assuntos referentes a questões da negociação salarial, com destaque para a Parcela Constitucional de Irredutibilidade (PCI) dos servidores de algumas carreiras, dentre elas, da Agraer.


Esses assuntos depois serão discutidos com a Secretaria Estadual de Administração e Desburocratização).


Para o presidente do Sinterpa, Edimilson Volpe, há várias questões pendentes que precisam ser negociados com o governo do Estado, em especial preocupação com o acordo de renegociação da dívida com o governo federal: “Em contrapartida nessa renegociação da dívida, o governo do Estado se comprometeu em realizar alguns ajustes, entre eles, não conceder aumento real aos servidores. Isso é muito preocupante, já que desde este ano já não tivemos um reajuste satisfatório”, comentou.


O Sinterpa também está acompanhando ativamente a implantação do Programa de Gestão por Competências por parte do Executivo. “Para a adesão efetiva dos servidores, será necessário um processo transparente, sem copiar exemplos ruins de outros Estados da federação onde a implantação não foi satisfatória. Para que esse projeto não se torne um fator de descrédito para o governo e desmotivação dos servidores, mas que venha em benefício dos servidores, do Estado e da sociedade", comentou o presidente do sindicato.


Por: Assessoria de Comunicação


Siga
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W
Posts Recentes