Anater e Sead definem programa de formação para extensionistas

A Agência de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) iniciou o planejamento das ações do Programa de Formação em Ater, cuja meta para esse ano é formar 5.300 extensionistas, sendo 5000 agentes e 300 gestores de todas as unidades da Federação.

 

O gerente de Gestão de Ater e Formação da Anater, Vilmar Matter, explica que o objetivo do programa é preparar os técnicos para executar os projetos da Anater, que possuem um viés no desenvolvimento comunitário, visando gerar conhecimento dentro da própria comunidade. “Para isso, vamos trabalhar com unidades de referência, fazendo a integração entre a pesquisa e o ensino, para que possamos utilizar o conhecimento e as tecnologias já desenvolvidas nesse trabalho junto com os agricultores, de acordo com sua necessidade e especificidade”, completa.

 

O gerente explica que o programa de formação foi construído tomando como base os termos da Política Nacional de Ater (Pnater), incluindo na ementa, também, temas específicos que são de importância para a Anater. “O planejamento das ações está sendo feito em parceria com a Coordenação Geral de Formação de Agentes de Ater da Secretaria Especial e Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), órgão do Governo Federal, através do qual o Governo Federal faz o aporte de recursos na Anater, e quem define as diretrizes para que as metas previstas no contrato sejam alcançadas”.

 

Para manter o alinhamento do programa, as coordenações de formação da Anater e da Sead definiram um cronograma de reuniões, que serão realizadas mensalmente, para uma construção contínua e compartilhada, não apenas no planejamento, mas também na execução das capacitações e na avaliação de resultados.

 

Parceria

Segundo o coordenador-geral de formação, Gereissat Rodrigues de Almeida, no âmbito da Sead, o programa tem o objetivo de acompanhar e fazer valer as diretrizes da Pnater nos processos. “Embora o mote seja a formação, também temos como objetivo a capacitação dos jovens do meio rural afim de evitar o êxodo e promover a fixação e a continuidade do trabalho no campo e, também, promover a articulação junto à academia, de forma que os cursos de Ciências Agrárias possam ser mais convergentes à realidade do campo".

 

Gereissat explica que o programa de formação é balizado nas diretrizes do Pnater, que tem expresso em seus princípios conceitos de uma pedagogia dialógica e participativa. “E é essa orientação que queremos compartilhar com a Anater nesse trabalho de alinhamento que estamos fazendo, no sentido de ampliar as bases para a construção da abordagem de Ater que a Pnater requer, visando, inclusive, sistematizar um banco de profissionais que possam contribuir com os cursos de capacitação dos técnicos”, completa.

 

Estratégia

A Anater iniciou o programa de formação em 2017, quando foram formados 101 gestores e 1.048 agentes, em parceria com as entidades públicas de Ater dos estados com os quais já foi firmada parceria.

 

Para viabilizar os cursos, a Anater formou uma equipe de 16 profissionais que auxiliaram no treinamento dos técnicos que estão atuando na execução dos projetos. A estratégia é manter, e ampliar, o banco de instrutores para executar os diversos processos de formação incluídos no planejamento a partir desse ano.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Foto: Albino Oliveira/Ascom Sead

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Siga
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W

Posts Sinterpa