Maior evento científico da América Latina movimenta campus da UFMS

24.07.2019

Começou no domingo, 21 de julho, a 71ª edição da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior evento de divulgação científica da América Latina. Cerca de 15 mil pessoas são esperadas para participar das atividades que se realizam até o dia 27 no campus da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande.

 

Com o tema “Ciência e Inovação nas Fronteiras da Bioeconomia, da Diversidade e do Desenvolvimento Social”, a SBPC leva à capital sul-mato-grossense uma programação entusiasmante, com mais de 250 atividades, e a participação de pesquisadores renomados, nacionais e internacionais, e gestores do sistema estadual e nacional de CT&I.

 

A programação científica se soma às atividades da SBPC Inovação, SBPC Afro e Indígena e SBPC Educação. No total, serão realizadas, ao longo da semana, 67 conferências, 59 mesas-redondas, 40 encontros, 16 rodas de conversa, 09 sessões especiais, 05 palestras, 04 assembleias e 03 oficinas. Além disso, serão oferecidos 44 minicursos, com carga horária de 8 horas, em diversas áreas do conhecimento.

 

A situação política atual do País será debatida em diversas sessões, e inclusive norteou a cerimônia de abertura. “A questão econômica não se resolve se cortamos recursos da ciência e tecnologia. O que a gente vê são cortes acentuados no orçamento e contingenciamentos de 40%. Esse é o ponto central da nossa discussão da SBPC nesta semana e que desde 2014, quando começaram os cortes de recursos para C&T, estamos, junto ao governo, ao parlamento, à sociedade, dizendo que esse é o caminho errado para o País. Este é um ponto do qual não abrimos mão”, afirmou o presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira.

 

“A universidade vem sendo atacada de muitas formas, pela perseguição aos seus dirigentes em função de problemas que enfrentam na administração das universidades, muitas vezes injustamente como no caso do Professor Cancellier, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, que se suicidou; e financeiramente através dos cortes orçamentários produzidos pelo governo”, disse a presidente da Associação Brasileira de Pós-Graduação (ANPG), Flavia Calé. Para ela, “os cortes de bolsas da Capes e do CNPq, são um crime contra a ciência”.

 

Um grupo que reúne pesquisadores de várias instituições de pesquisa federais, além de expor seus trabalhos na SBPC, também aproveitou o evento para protestar a falta de verbas e não realização de concursos públicos.

 

Durante a SBPC, serão apresentados balanços das ações do novo governo em C&T, Educação e em questões sociais. Estão programados ainda debates sobre “A crise da democracia no Brasil” e “Como a ciência pode contribuir para as políticas públicas”.

 

As celebrações importantes da ciência em 2019 também terão sessões especiais, como uma homenagem aos 20 anos da Plataforma Lattes, ao Ano Internacional das Línguas Indígenas, os 150 anos da Tabela Periódica, os 250 anos de Alexander von Humboldt, os 50 anos da Descoberta dos Quark e o Centenário do Eclipse de Sobral, que confirmou a Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein.

 

A Reunião Anual

A SBPC foi criada em 1948 e é uma entidade voltada à defesa do avanço científico e tecnológico e do desenvolvimento educacional e cultural do Brasil. Atualmente tem 142 sociedades científicas associadas, em todas as áreas do conhecimento, e cerca de 5 mil sócios ativos. A cada ano, a Reunião Anual da SBPC é realizada em um estado brasileiro, sempre em universidade pública. O evento reúne milhares de pessoas, com os objetivos de debater políticas públicas nas áreas de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação e de difundir os avanços da Ciência nas diversas áreas do conhecimento para toda a população. Em 70 anos de existência, é a primeira vez que o Mato Grosso do Sul será palco do evento.

 

Fonte: Jornal da Ciência e Agência Brasil

Foto: Neila Rocha/Ascom-MCTIC

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Siga
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W

Posts Sinterpa