Posts Sinterpa

Inscrições para o II Seminário Estadual da Guavira estão abertas


Com o tema “Perspectiva para desenvolvimento da cadeia produtiva”, o II Seminário Estadual da Guavira irá abordar questões como a preservação das áreas nativas, consumo, produção de mudas e desenvolvimento de receitas com o fruto símbolo de Mato Grosso do Sul. O evento acontece na próxima terça-feira (29), das 7h30 às 18h, no auditório do Complexo Multiuso da UFMS, em Campo Grande.


Estudantes, pesquisadores, agricultores familiares e demais interessados no tema podem participar do seminário. As inscrições são gratuitas, basta preencher o formulário disponível neste link: https://bit.ly/2pKdjLv.


A comissão organizadora é formada por representantes da Agraer, UFMS, Fiocruz, Assembleia Legislativa e Uniderp.


Fruto símbolo de MS

A primeira edição do evento foi realizada no ano passado, depois que a guavira (Campomanesia spp) foi declarada fruto símbolo do estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Lei Estadual Nº 5.082/2017, de autoria do deputado estadual Renato Câmara.


O parlamentar destaca que o seminário será um importante passo para o incremento da fruta nas áreas de ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo no Estado, estimulando a realização de estudos técnico-científicos de produção e preservação genética da guavira, o cultivo sustentável e a geração de novos produtos a partir deste fruto típico do cerrado.


"Nos últimos anos, os guavirais diminuíram devido a expansão da pecuária, das lavouras e do crescimento populacional. A melhor forma de conservar o fruto é viabilizar o seu cultivo do ponto de vista econômico, para consumo próprio e para comercialização. A guavira tem um grande potencial para gerar renda a ajudar a desenvolver o turismo. O passo agora é desenvolver a sua cadeia produtiva", disse Renato Câmara (MDB).


O deputado cita o exemplo do município de Bonito, onde a fruta já é utilizada preparação de pratos tradicionais, sorvetes, picolés, drinques e os mais antigos até utilizam a guavira para fins medicinais. No município, a guavira já conquistou o privilégio de ter um festival em sua homenagem. Geralmente realizado em novembro, época de colheita da fruta, o Festival da Guavira de Bonito é uma mistura de cultura e gastronomia.


A pesquisadora da Agraer, Dra. Ana Cristina Araújo Ajalla, que integra a comissão organizadora, explica que o evento é um desdobramento dos debates que ocorreram no ano passado. “No primeiro seminário, fizemos uma discussão mais ampla com foco na utilização e preservação da fruta nativa. Neste ano, buscamos abordar questões mais específicas da guavira em Mato Grosso do sul e quais são as perspectivas”.


No ano passado, o seminário atraiu um público de aproximadamente 350 pessoas, incluindo a participação de estudantes, produtores e pesquisadores de outros três Estados: Ceará, Distrito Federal e Paraná.


Programação

Serão realizadas palestras com professores e pesquisadores da UEMS, UFMS, UCDB, IFMS, Unigran, Fiocruz, UFGD, Semagro e Agraer. Na parte da manhã, será realizado o primeiro painel com o tema “Integração da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com a guavira no MS”.


A palestra “Produção de Mudas de Guavira e resultados de produtividade” será ministrada pela pesquisadora Ana Cristina Ajalla Volpe. A Agraer desenvolve projetos de assistência técnica sobre a produção da guavira em municípios como Campo Grande, Anhanduí, Terenos e Maracaju.

O segundo painel, a partir das 13h30, terá como tema “Experiências de negócios sustentáveis com guavira e outras plantas nativas”.


Entre as palestras está a “Estruturação da cadeia produtiva do Marolo em Minas Gerais”, com o Dr. Marcelo Lacerda Resende, da Universidade Federal de Alfenas (MG).


Serão apresentadas ainda experiências de negócios sustentáveis no MS, como um aplicativo para identificação dos locais dos guavirais nativos, desenvolvido pela pesquisadora do IFMS, Ivilaine Pereira Delguingaro; e o relato das coletoras de guavira de Bonito, Maria Erman Soares e Camila Erman.


Durante o evento, a Semagro e a Fiocruz vão apresentar a Câmara Setorial de Plantas Nativas, proposta no seminário do ano passado, e que deve ajudar na elaboração de políticas públicas e projetos para o desenvolvimento da cadeia produtiva da guavira no Estado.


Mais informações pelo e-mail guavirams@gmail.com ou pelo telefone (67) 3326-4063.


Por: Assessoria de Comunicação do Sinterpa (Com informações da Assembleia Legislativa)

Siga
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W
Posts Recentes