Posts Sinterpa

Agraer assiste produtores de Campo Grande e Jaraguari com tecnologia de IATF


Os servidores da Agraer, através do escritório regional de Campo Grande (escritórios locais Campo Grande e Jaraguari), estão aplicando a tecnologia de Inseminação Artificial com Tempo Fixo (IATF) dentro do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural. A Agência de Ater Pública, vinculada à Semagro, realiza o diagnóstico de gestação e demais procedimentos da aplicação de estimuladores e da inseminação.


O IATF é uma biotécnica reprodutiva que utiliza hormônios para sincronizar a ovulação em vacas aptas à reprodução e a inseminação artificial em momento pré-definido. Essa técnica pode chegar a 100% de eficiência, desde que o rebanho apresente boa condição sanitária e de manejo.


As principais vantagens da IATF são: maior taxa de concepção e gestação, menor intervalo de partos, aumento de nascimento de bezerras, aumento da produtividade da fêmea ao longo da vida útil.


No Assentamento Estrela Campo Grande e Jaraguari, são assistidos 35 produtores, com 200 animais inseminados e 40 crias nascidas. Na região conhecida como Gameleira, em Campo Grande, são seis pecuaristas assistidos, com 30 animais. No Rincão, quatro produtores estão no projeto, com 10 animais. Em Jaraguari, também participam 10 produtores tradicionais, com 100 vacas inseminadas e 10 nascimentos.


No total, são 55 produtores beneficiados com 340 animais inseminados. Esse excelente trabalho é desenvolvido pela equipe técnica da Agraer: Clóvis Ramos, Jennyfer Colante, Paula Baptistotte e Simila Horing com apoio dos escritórios municipais de Campo Grande e Jaraguari e dos coordenadores locais.


Nesse projeto, produtores arcam com as despesas dos protocolos hormonais para IATF e do sêmen. O protocolo gira em torno de R$ 45,00 e o sêmen R$ 20,00. Caso o beneficiário queira usar sêmen sexado, isto é, com escolha de sexo, o valor sobe para R$ 150,00.


Estudos da Embrapa Gado de Leite (MG) demonstram que é possível reduzir o intervalo entre inseminações de uma vaca em cerca de 20 dias com a utilização do ultrassom Doppler para realizar diagnóstico precoce da prenhez. A redução do intervalo de partos no rebanho representa ganho econômico tanto na produção de uma vaca de leite quanto na engorda de bezerros de corte.


O produtor assume o compromisso de seguir o manejo nutricional e sanitário que os técnicos da Agraer prescrevem e, assim, aumenta a probabilidade da tecnologia ser eficaz.


“A Agraer não escolhe produtor para prestar assistência, ou seja, ela trabalha com aquele produtor que não tem, sequer, alimentação básica para seus animais, até com aquele que busca a inseminação artificial para melhoramento genético de seu rebanho. Ater pública é assim”, comenta o diretor executivo da Agraer, Fernando Nascimento.


Texto: Fernando Nascimento – Diretor Executivo da Agraer

Fotos: Divulgação

Siga
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W
Posts Recentes